Bancos oferecem crédito para obra por 1,9% ao mês

Folha de São Paulo.

Quem quer aproveitar a temporada de queima de estoque, mas está com as reservas financeiras em baixa, pode optar pelo financiamento bancário para a compra de material de construção.

A questão é considerar se as despesas com o empréstimo serão compensadas pelos descontos dados pelas lojas.

As linhas de crédito que não exigem garantia oferecem até 60 meses para pagar o dinheiro usado durante seis meses de compras. Os juros vão de 1,89% a 3,94% ao mês, de acordo com o valor e o tempo de quitação.

A linha da Caixa Econômica Federal oferece crédito em grande parte das lojas de material de construção, mas é preciso antes passar em uma agência para a aprovação. O limite mínimo é de R$ 1.000, e a cota máxima, de R$ 180 mil.

No Banco do Brasil, o crédito é contratado diretamente em lojas conveniadas que aceitem Visa. O limite máximo é de R$ 50 mil. No Itaú, o correntista deve ir até a agência para a contratação da linha usada em lojas que aceitem cartões MasterCard.

O cartão do Bradesco só é aceito em lojas credenciadas pela Anamaco (associação de comerciantes de material de construção). As linhas são válidas apenas para correntistas.

Sem pressa e com uma obra maior em vista, há linhas de crédito para reforma na Caixa, no Bradesco e no Santander com juros mais baixos, mas que exigem um imóvel como garantia. Também é necessária documentação, e a aprovação do crédito leva tempo -que pode durar mais que os estoques.

Custo da mão de obra

Gastos com mão de obra representam cerca de 35% do custo total da reforma. Os meses de janeiro e fevereiro são bons para contratar pedreiros, já que as obras começam, em geral, em março. Antes de fechar o contrato, busque referências com amigos e profissionais e confira trabalhos anteriores.

Controle de estoque

Aproveitar a liquidação para comprar materiais para a reforma exige atenção à validade e ao espaço de armazenamento dos materiais. Os produtos devem ficar em local sombreado e sem umidade, para evitar alterações nas características.

Cimentos podem ser guardados por cerca de três meses. Já argamassas têm prazos de validade superiores; as colantes costumam durar seis meses. No caso de revestimentos cerâmicos, a dificuldade de encontrar peças iguais no futuro para suprir as quebradas é o problema. O ideal é comprar de 10% a 15% além do planejado.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *